O Youtube tirou do ar na noite desta segunda-feira a gravação da live de quinta-feira passada (21.out) em que o presidente Jair Bolsonaro fazia uma falsa associação falsa entre a imunização contra a Covid-19 e a Aids.

Mais cedo nesta segunda-feira, Facebook e Instagram já haviam removido o vídeo da live de suas plataformas por desrespeito às políticas de comunidade da plataforma.

"Removemos um vídeo do canal de Jair Bolsonaro por violar as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a COVID-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas. As nossas diretrizes estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou qual a sua opinião política", disse o YouTube, em nota.

Segundo apuração do canal de notícias G1, o canal de Bolsonaro ficará suspenso por uma semana, visto que já havia recebido um alerta anteriormente. O Núcleo não confirmou essa informação.

Mais cedo, o Núcleo entrou em contato com o Youtube por email questionando sobre a possibilidade de derrubada do vídeo, mas não obteve resposta.

Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo


Leia também...