Conteúdo original do Estado Islâmico, vídeos de massacre terrorista, apologia à extrema-direta, glorificação de Hitler, tudo isso pode ser encontrado com relativa facilidade no TikTok, segundo pesquisa publicada nesta terça-feira pelo Institute for Strategic Dialogue, renomada organização que analisa extremismo no mundo.

A pesquisa analisou em profundidade uma amostra de 1.030 vídeos de 491 perfis que resultaram de uma busca por 157 palavras-chave associadas a indivíduos, grupos, ideologias e incidentes entre 4 e 30 de junho de 2021.

Em meados de agosto, o Núcleo publicou uma investigação sobre como militarismo exacerbado e exaltação de violência policial invadiram o TikTok.

Algumas das principais descobertas destacadas pelo estudo da ISD:

  • 30% dos vídeos analisados possuía conteúdo supremacista branco
  • 24% continha apoio a grupos ou indivíduos associados com terrorismo ou extremismo, incluindo Adolf Hitler e Estado Islâmico
  • Vídeos do massacre de Christchurch, na Nova Zelândia, que deixou 51 mortos, podiam ser encontrados com facilidade (30 vídeos apoiaram o massacre, e 13 continham vídeo original)
  • Foi possível encontrar conteúdo original do Estado Islâmico
  • 27% do conteúdo encontrado continha música e 17% utilizava recursos de dueto, interação e efeitos do TikTok, o que mostra que alguns produtores de conteúdo extremista sabem aproveitar recursos e tendências da rede.

O vídeo com mais visualizações na amostra, com conteúdo anti-asiático relacionado à pandemia de Covid-19, tinha 2 milhões de views.

Táticas de evasão para evitar remoção dos vídeos são simples, mas eficientes, segundo a pesquisa. Um exemplo é a utilização de nomes de usuário quase idênticos, acionamento de funções de privacidade e restrições a comentários, assim como erros de grafia propositais e a utilização do layout de vídeos para promover ódio.

A pesquisa reconhece que o TikTok remove vídeos do tipo, embora de maneira inconsistente: apenas 18,5% dos vídeos da amostra foram removidos até a publicação do documento.

Para mais detalhes e metodologia, acesse o documento completo, assinado pelo pesquisador Ciarán O'Connor: Hatescape: An In-Depth Analysis of Extremism and Hate Speech on TikTok.

Resposta do TikTok ao pesquisador antes da publicação do relatório:

O TikTok categoricamente proíbe extremismo violento e comportamento de ódio, e nossa equipe dedicada removerá qualquer tipo de conteúdo que violar nossas políticas e minar a experiência criativa e alegre que as pessoas esperam da plataforma. Valorizamos a pesquisa e a colaboração da ISD e removemos todo conteúdo em violação contido no relatório. Nossa equipe também utilizou esta pesquisa para informar mais investigação, o que nos ajudou a proativamente remover perfis adicionais.


É importante porque...

  • Mostra dificuldade na moderação de conteúdo de redes sociais
  • Mostra persistência de conteúdo extremista em uma rede social repleta de jovens

Dica de pauta pela leitora Luiza Bodenmüller
Texto Sérgio Spagnuolo
Edição Alexandre Orrico

Leia também...