Ontem soubemos dessa história maravilhosa postada no Twitter de um diretor do SBT Rio. Rolou em Nova Iguaçu: um cliente deixou um Porsche de 1 milhão para consertar o rádio, o mecânico foi dar um rolê com o carro e terminou sendo assaltado.

Mas os bandidos tinham consciência de classe:

A história em si já é fantástica, mas a conversa que este tuíte desencadeou é tão boa quanto. A começar pelo valor do Porsche, imediatamente contestado.

Ok que a conta tava errada em R$ 940 mil, porém comprometer R$ 60 mil já ia ser o suficiente, né. Principalmente quando os R$ 60 mil NEM SEUS SÃO.

E este nem foi o detalhe da história que pareceu mais maluco. Muita gente estranhou que um dono de Porsche levasse o carro para consertar em Nova Iguaçu.

Mas como o Rio de Janeiro continua sendo, claro que apareceu um amigo do mecânico.

Pelo jeito, a fama de Nova Iguaçu não tá lá essas coisas.

E os moradores apareceram para esclarecer as coisas.

Vamos desfazer os preconceitos com as cidades da Baixada, pessoal.

Surgiu até uma nova classe social, que parece ficar entre a classe média e os ricos & milionários: os BEM DE VIDA.

O atrevimento dos assaltantes também foi notado.

A história toda suscitou uma reflexão moral um pouco estranha, que foi prontamente respondida logo abaixo:

E não passaram batidas as semelhanças com um clássico da Sessão da Tarde. Não dá pra negar que a história foi praticamente um "Curtindo a Vida Adoidado" versão Baixada.


Leia também...