O Morning Show, programa diário da Jovem Pan, já não é lá muito conhecido pela lucidez.

Mas ontem, com a participação do ex-Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, atingiu um novo patamar de delírio: Salles falou que Sergio Moro é de esquerda e MAIS, chamou o ex-ministro de Bolsonaro, com todas as letras, de COMUNISTA.

Mesmo os apresentadores do programa, conhecidos pela posição neo-reacionária, riram da fala do ex-ministro. Até o Adrilles Jorge, jornalista, escritor e ex-BBB tornado um dos maiores defensores de Bolsonaro, soltou um "ME AJUDA A TE AJUDAR, SALLES".

O resto dos comentaristas tentou contemporizar dizendo que o Moro, na verdade, é CENTRO-ESQUERDA.

Na sequência, Salles recapitulou as razões de classificar Sergio Moro como comunista: "quer liberar droga – coisa de esquerdista. Contra arma – coisa de esquerdista. A favor de agenda de gênero – coisa de esquerdista".

Quando pensávamos que o nível do delírio não poderia subir mais ainda, Adrilles interrompeu o ex-ministro para dizer que Moro na verdade era tucano, que tinha roubado todas as bandeiras do PSDB: a favor da pauta liberal, da pauta progressista de costumes e da SEXUALIDADE PRECOCE DE CRIANÇAS.

Enquanto Adrilles desenvolvia seu raciocínio, seus colegas ficaram:

Adrilles seguiu dizendo que o Bolsonaro está "fazendo uma revolução por dentro do sistema eleitoral e do sistema partidário brasileiro", ao que o Joel responde enquanto checa o celular "aham, o Valdemar da Costa Neto é uma revolução" (e a Zoe só levanta o braço).

E o apresentador faz a única coisa possível nesse hospício:

Tudo isso só para você sentir o nível de DESCOLAMENTO DA REALIDADE do Salles, que foi CENSURADO por essa turma ao dizer que o Sergio Moro era comunista.

Texto Clarissa Passos
Edição Alexandre Orrico

Leia também...