Você lembra onde estava quando ouviu falar do Movimento Brasil Livre pela primeira vez?

Parece a introdução da pior cantada de todos os tempos, e provavelmente é mesmo.

Eu não lembro onde estava, mas me recordo de ter ouvido falar deles pela primeira vez nesta reportagem de 2014 de María Martín para o finado El País Brasil:

Entre outras coisas, a matéria revelava que o MBL estava por trás da campanha do Paulo Batista, candidato (derrotado) a deputado estadual por São Paulo em 2014. Aquele, do vídeo do Raio Privatizador. Era engraçado, juro.

O que ainda era segredo, revelado só em 2016, é que um dos fundadores do MBL é Pedro D'Eyrot, do Bonde do Rolê. Tudo muito hipster mesmo, muito descolex.

O MBL foi um dos protagonistas do impeachment de Dilma Rousseff. E foram só ladeira acima: membros do movimento se candidataram a cargos nas casas legislativas do Brasil e tiveram votações recordes. Entre os mais célebres, Kim Kataguiri, deputado federal pelo estado de São Paulo, e Fernando Holiday, vereador em SP. (Aliás, Holiday deixou o movimento no começo de 2021, sabia? Eu não sabia.)

Já não eram mais os hipsters da matéria do El País. Com a adesão do youtuber Arthur do Val "Mamãe Falei", mais tarde eleito deputado estadual por São Paulo, o perfil do MBL foi ficando cada vez mais... VillaMix.

Depois do impeachment de Dilma, o MBL ganhou mais uma: apoiou a candidatura vitoriosa de Bolsonaro, em 2018. Mas desembarcou do governo no ano seguinte e, pra surpresa sincera de muita gente, meteu AQUELA autocrítica. Nas eleições deste ano, contra Lula e Bolsonaro, entrou pesado na campanha de Sergio Moro.

Aí corta pro ano 2022 do movimento que havia admitido "exagero na agressividade retórica": Kim Kataguiri dizendo que a Alemanha fez mal ao criminalizar o nazismo, Arthur do Val falando que mulheres refugiadas da Ucrânia são fáceis porque são pobres e o fundador Renan Santos gritando e xingando todo mundo durante lives, mais louco que o Inri Cristo de lambreta.

Kim e Arthur correm risco de cassação; Renan, de ter um infarto antes dos 40 anos.


Leia também...