Você deve ter visto nos últimos dias mais de um vídeo antigo de uma professora muito p*ta das calças com a Inglaterra e outros países europeus, xingando todo mundo enquanto acende um cigarro no outro.

Talvez você tenha curtido os que passaram pela sua timeline, e talvez também tenha notado que a galera se dividiu entre se gabar por saber quem ela é "antes de virar modinha" e aclamar a figura mesmo sem saber direito de quem se trata.

Se você está no segundo grupo, esse post é para você.

A professora Maria da Conceição Tavares é uma das economistas mais renomadas do Brasil. Naturalizada brasileira, nasceu em Portugal e tem como marca a preocupação com a busca da justiça social. O pai dela, anarquista, abrigava refugiados da Guerra Civil Espanhola em plena ditadura salazarista.

Maria da Conceição veio ao Brasil quando o marido aceitou um convite de trabalho, em 1954. Já era formada em Matemática e aqui estudou Economia.

Em 1974, foi presa durante a ditadura. Passou alguns dias no DOI-CODI até ser solta por intervenção do próprio general Ernesto Geisel, feita a pedido do Mário Henrique Simonsen, que era Ministro da Fazenda.

Em tempos mais democráticos, ela participou do desenvolvimento do Plano de Metas do governo Juscelino Kubitschek.

Entre outras proezas (além de fumar tanto assim e continuar viva e saudável aos 91 anos), ela conseguiu juntar na mesma mesa Dilma Rousseff e José Serra, então concorrentes na eleição presidencial, no seu aniversário de 80 anos em 2010. Conceição foi professora e é amiga dos dois.

E também pagou mais imposto que o Roberto Marinho (mesmo sendo professora; no Brasil, Maria da Conceição deu aulas na FGV, na Unicamp e na UFRJ), como ela diz nesse vídeo:

Maria da Conceição Tavares se filiou ao PMDB, nascido do então partido de oposição ao regime, o MDB, no finalzinho da ditadura. Apoiou o Plano Cruzado, tentativa de conter a inflação implementada no governo de José Sarney, que mais tarde se revelou uma baita furada.

Ela desligou-se do partido por discordar de suas políticas. Em 1994, filiada ao PT, foi eleita deputada federal pelo Rio de Janeiro.

Hoje Maria da Conceição, que se define como "a velha que não desiste", vive em seu apartamento no Flamengo. Classifica o governo Bolsonaro como "disparatado" e Paulo Guedes e sua equipe como pseudo-gestores públicos, que não têm nada além de ambição pelo poder, como ela descreveu em 2019 para a colunista Maria Cristina Fernandes, do Valor Econômico.

Para mais vídeos da Maria da Conceição Tavares, você pode seguir as contas de Twitter @acervo_tavares e @acervotavares, ou assistir à playlist do Instituto de Economia da Unicamp.


Leia também...