Você já sabe que o Twitter, com seu limite de 280 caracteres e usuários que se identificam como 𝔭𝔦𝔫𝔰𝔠𝔥𝔢𝔯 𝔡𝔢 𝔯𝔬𝔲𝔭𝔦𝔫𝔥𝔞, é a plataforma ideal para discussões profundas e complexas.

Então você deve ter visto por lá (ou como print no Instagram) tweets como estes, falando sobre como o Elon Musk poderia erradicar a fome mundial usando o dinheiro que ele usou para comprar o Twitter.

Essa numeralha é complicada mesmo pra nós que somos de humanas, mesmo que bem intencionados, mas, pô, peraí, gente. Para acabar com a fome mundial, repito, ACABAR COM A FOME MUNDIAL, é só derramar uma quantidade X de dinheiro na cabeça das pessoas? Não deve ser tão fácil assim.

O mashup Elon Musk/erradicação da fome mundial parece ter começado em outubro do ano passado, quando o pesquisador Eli David postou o print de uma matéria da CNN dizendo que "2% da riqueza de Elon Musk poderia resolver a fome mundial, segundo o diretor da organização de escassez de comida das Nações Unidas".

O próprio Musk respondeu: "Se o PMA [Programa Mundial de Alimentos] puder descrever nesse fio do Twitter exatamente como US$ 6 bilhões erradicarão a fome mundial, eu venderei ações da Tesla agora mesmo e o farei."

Daí apareceu o chefe do PMA, David Beasley: "A manchete é imprecisa. US$ 6 bilhões não erradicarão a fome mundial, mas, SIM, evitariam a instabilidade geopolítica e a migração em massa e salvariam 42 milhões de pessoas ameaçadas pela fome. Uma crise sem precedentes e uma tempestade perfeita por causa das crises de covid/guerra/clima."

Durante a pesquisa para este post, caí [coloque seus óculos antirradiação e lave bem as mãos com álcool em gel] nesta coluna do jornalista "católico, casado e pai" Jônatas Dias Lima na Gazeta do Povo:

Escreve o Jônatas:

"Mesmo ignorando o quão oportunista e demagógica é esse tipo de cobrança feita a um indivíduo bem-sucedido, cidadão de um país democrático e que tem o direito de usar o dinheiro honestamente ganho como bem entender, a acusação cria a oportunidade para desfazer o mito de que muito dinheiro doado de uma única vez poderia resolver, para sempre, um problema estrutural milenar como a fome no mundo."

Concordamos sobre a dificuldade de resolver a questão da fome. Mas, nossa, né, Deus livre o cristão de sugerir que um bilionário ajude os pobres! Não é como se a Bíblia Sagrada ficasse o tempo todo martelando essa ideia.

Podemos, então, chegar a um consenso nestes dois pontos?

  • Erradicar a fome mundial não é fácil assim.
  • Seria legal que o Elon Musk doasse parte da fortuna dele para ajudar os mais pobres.

Podemos, né? Valeu, então.


Leia também...