A manhã do domingo começou superanimada no PSDB. Finalmente tinha chegado o dia das prévias do partido. Ao entardecer, era para todo mundo saber quem seria o postulante tucano à presidência do Brasil nas eleições do ano que vem.

A disputa era entre o governador de São Paulo, João Dória, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio.

Mas o PSDB devia ter prestado mais atenção ao alerta da eleitora:

O aplicativo desenvolvido para a votação, no caso, apesar de ter custado pelo menos R$ 2 milhões em dinheiro público, já havia sido "reprovado" em uma análise por uma empresa de segurança cibernética.

Quando ele parou de funcionar, foi a crônica de uma tragédia anunciada – e a deixa para unir famosos e anônimos rindo do partido.

E enquanto o Reinaldo Azevedo citava um funk para ilustrar a confusão que as prévias tucanas se tornaram...

Outras pessoas resumiam a situação do partido com um gif:

Conforme o dia foi passando e os problemas aumentando, voaram acusações de todos os lados dentro do partido, assim como voaram ironias nos comentários de quem acompanhava o desdobrar dos acontecimentos.

Claro que lembraram de outras prévias tumultuadas do PSDB.

Mas pelo menos alguma coisa o dia de ontem pode render.


Leia também...