SIGA O NÚCLEO NO TELEGRAM:

O The Verge pôs as mãos nos planos da Meta (ex-Facebook) para sua ambiciosa investida em óculos de realidade virtual — tão ambiciosa que alterou o nome e o direcionamento da empresa.

O QUE VEM POR AÍ? Segundo o repórter Alex Heath, a primeira geração dos óculos high-tech da Meta virá em 2024.

Em paralelo ao desenvolvimento dessa primeira geração, a empresa já está trabalhando na segunda, prevista para 2026. E a terceira já está nos planos, prevista para 2028.

E TEM MAIS. Internamente, esses óculos são chamados pelo codinome Projeto Nazare. Eles deverão funcionar independentes de celulares, mas serão acompanhados por um pequeno dispositivo similar aos celulares que carregamos hoje no bolso.

Outra iniciativa, o Projeto Hypernova, estaria desenvolvendo um par de óculos de realidade virtual mais baratos, a serem pareados com celulares comuns. A previsão é lançar este também em 2024.

E, por fim, vem aí também a segunda geração dos óculos feitos em parceria com a Ray-ban, cuja primeira geração saiu em setembro de 2021 por US$299 cada.

O VP de Realidade Aumentada da Meta, Alex Himel, teria dito aos funcionários da empresa que o objetivo é estar vendendo dezenas de milhões de óculos inteligentes até o fim desta década.

POR QUÊ? Ainda segundo o vazamento, Mark Zuckerberg, co-fundador, CEO e manda-chuva da Meta, encara os óculos de realidade aumentada como um “novo momento iPhone” e está disposto a arriscar bilhões de dólares e o futuro da empresa neles.

“O ego de Zuck está interligado [aos óculos]”, disse uma fonte anônima à reportagem.

Apesar da validade dessas informações, sabe como é: é possível que os desafios sejam maiores que o previsto e as datas de lançamento mudem, como já aconteceu no passado.

Via The Verge (em inglês).

Publicado em parceria com o Manual do Usuário

Apoie o Núcleo Núcleo Jornalismo para se juntar à conversa. Comentários: .


COMPARTILHE: Link copiado!

Leia também...