SIGA O NÚCLEO NO TELEGRAM:

O QUE ROLOU? Após ser abordada por uma mulher no LinkedIn, a pesquisadora Renée DiResta descobriu pelo menos 1.000 perfis falsos na rede social profissional que usam imagens de perfil geradas por computador.

PARA QUÊ? Esse perfis têm como função gerar leads para empresas em busca de novos clientes.

  • A estratégia é uma espécie de spam mais sofisticado, que simula relações humanizadas com perfis falsos automatizados — o ambiente de rede social facilita a esses robôs se passarem por humanos;
  • Quando uma vítima, digo, um lead responde positivamente ao contato do robô, a conversa é repassada a uma pessoa de carne e osso para que o negócio seja fechado.

COMO IDENTIFICAR ROBÔS? A foto de perfil de Keenan Ramsey, a pessoa de mentirinha que tentou empurrar um software corporativo a Renée, tinha vários indícios de ser forjada: olhos centralizados na imagem; fundo borrado e não identificável; um brinco ausente; e fios de cabelo que desaparecem e reaparecem.

Essas fotos provavelmente foram geradas pela tecnologia GAN (sigla em inglês para rede generativa adversarial), criada em 2014 e capaz de dar um tipo de “criatividade” a sistemas computadorizados.

Clique aqui para criar uma foto de perfil de alguém que não existe.

DE QUEM É A CULPA? Cerca de 70 empresas estão listadas como empregadoras nos perfis falsos. Elas contrataram outras empresas, especializadas em geração de leads, e foram essas que criaram e estavam usando os perfis na captura de novos clientes em potencial.

Por isso, a maioria das empresas contratantes não tinha ideia de que essa estratégia, que viola os termos de uso do LinkedIn, estava sendo empregada em nome delas.

O ATAQUE DOS FAKES. Segundo o relatório de transparência mais recente do LinkedIn, somente no primeiro semestre de 2021 cerca de 15 milhões de perfis falsos foram excluídos da plataforma — a maioria durante o cadastro ou antes de qualquer membro (de carne e osso) denunciá-los.

Agora, além de pessoas que você não conhece solicitando contato no LinkedIn, será preciso atentar para pessoas que não existem tentando empurrar coisas que você não pediu.

Via NPR (em inglês).

Publicado em parceria com o Manual do Usuário

Apoie o Núcleo Núcleo Jornalismo para se juntar à conversa. Comentários: .


COMPARTILHE: Link copiado!

Leia também...