SIGA O NÚCLEO NO TELEGRAM:

O NSO Group, empresa israelense de ciberespionagem, entrou no noticiário há alguns meses devido ao Pegasus, sua super ferramenta de hackeamento de celulares. Apesar dos holofotes, ela não é a única do tipo.

Pequenas startups norte-americanas também têm se dedicado à guerra virtual, e uma delas, a Boldend, que tem entre seus clientes o governo dos Estados Undidos, chamou a atenção recentemente por um conflito de interesses envolvendo um famoso investidor.

A reportagem do New York Times descobriu que a Boldend, fundada em 2017 em San Diego, Califórnia, conseguiu desenvolver uma ferramenta capaz de hackear o WhatsApp. A brecha foi fechada pelo Facebook/Meta em janeiro de 2021, antes que pudesse ser explorada em situações reais, segundo uma apresentação da Raytheon, outra empresa do setor, a que o jornal teve acesso.

O mais curioso é que nessa apresentação da Ratheon foi revelado também que, entre os investidores da Boldend, está o Founders Fund, fundo de investimento de risco do bilionário Peter Thiel, ex-PayPal, fundador da Palantir e conselheiro e um dos primeiros investidores do Facebook/Meta, dono do… WhatsApp. Estima-se que o Founders Fund tenha colocado US$10 milhões na Boldend.

A próxima reunião do conselho do Facebook/Meta será animada.

Via New York Times, Forbes (ambos em inglês).

Publicado em parceria com o Manual do Usuário

Apoie o Núcleo Núcleo Jornalismo para se juntar à conversa. Comentários: .


COMPARTILHE: Link copiado!

Leia também...