SIGA O NÚCLEO NO TELEGRAM:

Obrigado por clicar em um link com NFT no título, você tem coragem.

Antes de mais nada, uma breve explicação: NFT, ou token não-fungível, é um registro em uma blockchain (um banco de dados distribuído) que supostamente atesta a propriedade de itens digitais, como imagens em JPG ou um GIF animado, a partir de uma escassez artificial e, convenhamos, bastante frágil.

Aqui tem uma representação visual 👇.

Meme sobre NFT

Aqui, um textão mais aprofundado sobre o assunto.

Tem gente (supostamente) pagando milhões por desenhos de macacos, por exemplo, apenas por serem NFTs. Parece maluco, e é, mas tem cada vez mais gente endinheirada trabalhando (e investindo pesado) para emplacar essa ideia maluca. Tipo Neymar, que gastou quase R$ 6 milhões em dois desenhos de macacos.

Vide o Twitter. Nesta quinta (20.jan), o Twitter liberou suporte a NFTs aos assinantes pagantes do Twitter Blue – o produto digital da rede social que dá mais recursos aos assinantes.

Na prática, agora é possível conectar carteiras de NFTs ao aplicativo do Twitter (por ora, só no iOS) e puxar um deles para servir como avatar, ou imagem de exibição. NFTs são mostrados em formato hexagonal, em vez do tradicional círculo das imagens comuns. Ao tocar em um NFT, alguém interessado (alguém?) pode ver detalhes do NFT.

(Neymar está usando um dos seus desenhos de macaco como avatar, aliás.)

Não por coincidência, também na quinta o Financial Times publicou um rumor de que o Facebook/Meta está trabalhando para suportar NFTs nas suas duas redes, Facebook e Instagram. Fontes do jornal disseram que estão nos planos suporte a imagens de exibição, como ocorre no Twitter, e talvez a criação de um marketplace para a compra e venda de NFTs.

Por fim, ainda na quinta, as APIs da OpenSea, o maior marketplace de NFTs do mundo, saíram do ar, comprometendo a exibição automática de NFTs em aplicativos dependentes delas, como a carteira MetaMask e… o Twitter. O problema já foi corrigido.

Via @TwitterBlue/Twitter, Financial Times, Vice (todos em inglês).

Publicado em parceria com o Manual do Usuário

Apoie o Núcleo Núcleo Jornalismo para se juntar à conversa. Comentários: .


COMPARTILHE: Link copiado!

Leia também...