Homens brasileiros possuem mais computadores e smartphones do que mulheres, mostrou pesquisa da Meta sobre desigualdade de gênero divulgada na quinta-feira (18.nov), que destacou que disparidade de gênero na posse de eletrônicos é maior na América Latina e Caribe do que em qualquer outra região do mundo.


É importante porque...
  • Desigualdade no acesso à conexão pode se traduzir em desigualdade no acesso a oportunidades e à informação, assim como no uso de redes sociais

Enquanto 71% dos homens que responderam à pesquisa disseram ter um smartphone,  o número cai para 64% se tratando de mulheres.

Quando perguntados sobre possuírem computadores, 46% dos homens responderam afirmativamente, contra 38% das mulheres.

De 2020 para 2021, mais homens tiveram acesso a smartphones, já que essa porcentagem cresceu de `65%` em 2020 para 71% no atual ano. Para mulheres, no entanto, a situação ficou praticamente estável, com um leve aumento de 63% para 64%.

A pesquisa Desigualdade de Gênero em Casa, realizada pela Meta em parceria com a organização feminista Ladysmith, revelou que a desigualdade de gênero no acesso a equipamentos eletrônicos é mais acentuada na América Latina e Caribe do que em qualquer outra região. Enquanto 56% dos homens na região responderam que possuem um smartphone, o número cai para 46% se tratando de mulheres.

Embora realizada pela Meta, a pesquisa não trata apenas do uso de redes sociais e equipamentos eletrônicos, mas cobre quatro áreas temáticas: normas e percepções, tempo gasto e trabalho, acesso, posse e agência, e o impacto da COVID-19.

A pesquisa foi realizada na primeira semana de agosto de 2021 e teve 96 mil respostas completas de pessoas em mais de 200 países. No caso do Brasil, a Meta recolheu de 701 a 900 respostas.

Gender Equality at Home
Visualize aggregate data from over the 2020 Survey on Gender Equality at Home, which reached over 460,000 Facebook users in 208 locations around the world.
Texto Laís Martins
Edição Sérgio Spagnuolo

Leia também...