De acordo com o New York Times, o Facebook cogita abrir uma rede de lojas físicas para apresentar os produtos do Reality Labs, a divisão da empresa responsável pelo ferramental do metaverso — óculos e capacetes de realidade virtual, no momento.

Um documento obtido pelo jornal detalha que as lojas seriam úteis para “instigar emoções como ‘curiosidade, aproximação’, bem como uma sensação de ‘bem-vindo’ enquanto experimenta fones de ouvido em uma ‘jornada livre de julgamentos’”. Um porta-voz do Facebook não confirmou os planos de abrir lojas físicas. Via O Globo.

Em 2018, um executivo da Oculus, subsidiária de realidade virtual do Facebook, usou o termo “meatverse” para se referir ao mundo real — “meat” significa carne em inglês. É no mínimo irônico, e talvez diga muito, que para alardear os benefícios do metaverso o Facebook precise criar uma presença opulenta no “meatverse”. Via CNBC (em inglês).

[Opinião do autor] Em nota mais ou menos relacionada, fiquei impressionado com a presença de publicidade do Facebook nos jogos do Campeonato Brasileiro neste fim de semana. Placas do Instagram e inserção do WhatsApp na narração da Rede Globo. Fica a sensação de que é uma resposta às investidas do TikTok. A disputa pelo usuário, afinal, se dá no “meatverse”.

Publicado em parceria com o Manual do Usuário

Leia também...